O RIAS é o Centro de Recuperação e Investigação de Animais Selvagens da Ria Formosa e está localizado em Olhão. Desde meados de 2009 a sua gestão está a cargo da Associação ALDEIA, em parceria com o Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF) e a ANA-Aeroportos de Portugal, através do Aeroporto de Faro.

terça-feira, 1 de agosto de 2017

Devoluções à Natureza de dia 22 de Julho de 2017

Devolução à Natureza de uma garça-real (Ardea cinerea)
Quinta de Marim - Olhão
22 de Julho de 2017



Uma garça-real ingressou no RIAS um pouco magra e desidratada. Foram administrados fluídos para hidratá-la e fornecido alimento para recuperar uma boa condição corporal. Foi também submetida a treinos de voo.

Foi devolvida à natureza por visitantes da Quinta de Marim, técnicos e voluntários do RIAS. 




video



Devolução à Natureza de 5 pardais-comuns (Passer domesticus)
Quinta de Marim - Olhão
22 de Julho de 2017



Estes pardais ingressaram no RIAS devido a terem caído do ninho. Não tinham lesões e a sua recuperação consistiu apenas em fornecer alimentação adequada até que crescessem todas as penas necessárias ao voo. Para garantir uma melhor adaptação à natureza foram libertados perto da jaula exterior onde estiveram e nos primeiros dias fornecemos água e comida.


video



Devolução à Natureza de um picanço-barreteiro (Lanius senator)
Quinta de Marim - Olhão
22 de Julho de 2017


Este picanço-barreteiro era um juvenil que ainda não conseguia voar bem, pois algumas penas ainda estavam a crescer. A sua passagem pelo RIAS foi breve e foi devolvido à natureza por quem o encontrou.



video



Devolução à Natureza de 5 ouriços-cacheiros (Erinaceus europaeus)
Quinta de Marim - Olhão
22 de Julho de 2017



Um destes ouriços chegou ao RIAS sem qualquer lesão, tendo apenas sido encontrado no local errado à hora errada.  Outro era um juvenil orfão que ainda não tinha capacidade para sobreviver sozinho.


Um dos ouriços era uma fêmea grávida que ingressou no RIAS com uma ferida provocada por uma mordedura de cão. Acabou por ter os bébés enquanto estava internada no nosso centro. Os outros dois ouriços libertados eram os filhos deste ouriço fêmea, sendo que ainda ficaram em recuperação outros dois da mesma ninhada, por precisarem de ganhar um pouco mais de peso.






Sem comentários: